quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

♥ Organiza o Natal







Foto tirada por mim. Árvore de Natal de 28 metros, instalada na Praça do Ferreira (Fortaleza -Ce).
Texto extraído do livro "Cadeira de Balanço", Livraria José Olympio Editora - Rio de Janeiro, 1972, pág. 52.







Alguém observou que cada vez mais o ano se compõe de 10 meses; imperfeitamente embora, o resto é Natal. É possível que, com o tempo, essa divisão se inverta: 10 meses de Natal e 2 meses de ano vulgarmente dito. E não parece absurdo imaginar que, pelo desenvolvimento da linha, e pela melhoria do homem, o ano inteiro se converta em Natal, abolindo-se a era civil, com suas obrigações enfadonhas ou malignas. Será bom.

Então nos amaremos e nos desejaremos felicidades ininterruptamente, de manhã à noite, de uma rua a outra, de continente a continente, de cortina de ferro à cortina de nylon — sem cortinas. Governo e oposição, neutros, super e subdesenvolvidos, marcianos, bichos, plantas entrarão em regime de fraternidade. Os objetos se impregnarão de espírito natalino, e veremos o desenho animado, reino da crueldade, transposto para o reino do amor: a máquina de lavar roupa abraçada ao flamboyant, núpcias da flauta e do ovo, a betoneira com o sagüi ou com o vestido de baile. E o supra-realismo, justificado espiritualmente, será uma chave para o mundo.

Completado o ciclo histórico, os bens serão repartidos por si mesmos entre nossos irmãos, isto é, com todos os viventes e elementos da terra, água, ar e alma. Não haverá mais cartas de cobrança, de descompostura nem de suicídio. O correio só transportará correspondência gentil, de preferência postais de Chagall, em que noivos e burrinhos circulam na atmosfera, pastando flores; toda pintura, inclusive o borrão, estará a serviço do entendimento afetuoso. A crítica de arte se dissolverá jovialmente, a menos que prefira tomar a forma de um sininho cristalino, a badalar sem erudição nem pretensão, celebrando o Advento.

A poesia escrita se identificará com o perfume das moitas antes do amanhecer, despojando-se do uso do som. Para que livros? perguntará um anjo e, sorrindo, mostrará a terra impressa com as tintas do sol e das galáxias, aberta à maneira de um livro.

A música permanecerá a mesma, tal qual Palestrina e Mozart a deixaram; equívocos e divertimentos musicais serão arquivados, sem humilhação para ninguém.

Com economia para os povos desaparecerão suavemente classes armadas e semi-armadas, repartições arrecadadoras, polícia e fiscais de toda espécie. Uma palavra será descoberta no dicionário: paz.

O trabalho deixará de ser imposição para constituir o sentido natural da vida, sob a jurisdição desses incansáveis trabalhadores, que são os lírios do campo. Salário de cada um: a alegria que tiver merecido. Nem juntas de conciliação nem tribunais de justiça, pois tudo estará conciliado na ordem do amor.

Todo mundo se rirá do dinheiro e das arcas que o guardavam, e que passarão a depósito de doces, para visitas. Haverá dois jardins para cada habitante, um exterior, outro interior, comunicando-se por um atalho invisível.

A morte não será procurada nem esquivada, e o homem compreenderá a existência da noite, como já compreendera a da manhã.

O mundo será administrado exclusivamente pelas crianças, e elas farão o que bem entenderem das restantes instituições caducas, a Universidade inclusive.

E será Natal para sempre.

(Carlos Drummond de Andrade)

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

♥ O Vento na Ilha

Vento é um cavalo:
ouve como ele corre
pelo mar, pelo céu.
Quer me levar: escuta
como ele corre o mundo
para levar-me longe.
Esconde-me em teus braços
por esta noite erma,
enquanto a chuva rompe
contra o mar e a terra
sua boca inumerável.
Escuta como o vento
me chama galopando
para levar-me longe.
Como tua fronte na minha,
tua boca em minha boca,
atados nossos corpos
ao amor que nos queima,
deixa que o vento passe
sem que possa levar-me.
Deixa que o vento corra
coroado de espuma,
que me chame e me busque
galopando na sombra,
enquanto eu, protegido
sob teus grandes olhos,
por esta noite só
descansarei, meu amor.


(Pablo Neruda)

sábado, 5 de dezembro de 2009

♥ Acreditei no mar















Percorri a umbria de um eclipse
que nas vagas não reflectia
Apaguei os olhos e sorri com uma lágrima
Ao abrir, fitei o azul
o azul do céu , do mar e da lua
Ouvi então estremecerem as ondas
e a areia lacrimar.
Voltaram os raios lunares,
voltei ao luar da noite
húmida e fria
em que me movo
e te deito.
Minha gárgula de vida,
meu eterno mar


(Nuno Travanca)

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

♥ Consciência negra

O Dia da Consciência Negra é celebrado em 20 de Novembro no Brasil e é dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. A data foi escolhida por coincidir com o dia da morte de Zumbi dos Palmares, em 1695. O Dia da Consciência Negra procura ser uma data para se lembrar a resistência do negro à escravidão de forma geral, desde o primeiro transporte forçado de africanos para o solo brasileiro (1594).

Chega de racismo
De história mal contada
Chega de hipocrisia
De mentira esfarrapada
Esse preconceito infeliz
Que por aí diz
Que negro não vale nada.
O negro também precisa
Ser privilegiado
Chega de arrogância
Branco tenha cuidado
Com o preconceito em alta
Pois quem muito se exalta
É sempre humilhado.
Preto, branco e mulato
Vamos nos unir
O preconceito é horrível
E não é para existir
Já que todos somos irmãos
Essa grande nação
Espalhada por aí.

A consciência negra
Quer exatamente
Provar que somos iguais
E não diferentes
São lutas populares
Como as de Zumbi dos Palmares
Que morreu pela sua gente.

É preciso desde já
Com amor todo gentil
Acabar com o preconceito
E ver em nosso Brasil
O negro sorrindo tanto
Como a Daiane dos Santos,
Pelé e Gilberto Gil.


(Francisco Carneiro Barbosa)

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

♥ A Importância do Livro na Escola

Escola sem livros é pobre
O aluno custa a aprender
O livro é um ouro nobre
Ajuda você a crescer

O livro é a melhor arma
Atira só letra e cultura
Faz da escola um carma
Para uma paz futura

A escola que tem livros
Incentiva a boa leitura
Os olhos são como crivos
A mente borda a brandura

O livro é ouro em papel
A escola e prata e luz
Ambos são bolsa e farnel
Que na vida nos conduz

Sem livros e sem escola
O mundo não tem cultura
É como cego que implora
A luz que vem da altura


(Sonia Nogueira)

sábado, 7 de novembro de 2009

♥ Poema para o Deus sol


Um dia, olhei para o Céu,
vi nele um espesso véu,
uma trovoada iminente:
Raios, coriscos, centelhas
Abrem crateras, vermelhas,
em corrupio permanente.

Um raio de sol espreita
por uma abertura estreita.
Entre nuvens carregadas,
pequenas gotas de chuva,
quais lágrimas de viúva,
são por ele violadas.

Passados breves instantes,
do acto entre os dois amantes,
um fenómeno acontece:
Um arco-íris, infinito,
torna o céu mais bonito,
O sol brilha, a terra aquece.

Belo arco-íris, colorido,
por nuvem negra parido,
que um raio de sol fecundou,
gera festival de cores,
filho de estranhos amores
que a tempestade juntou.

O Sol fonte de energia,
tudo mata, tudo cria,
seja em que lugar for,
É Deus da fertilidade,
luz divina, claridade,
com a terra faz amor.


(Fernanda)

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

♥ Felicidade

Veio alguém na minha porta,
Vacilei não quis atender,
Pensei que fosse a saudade que vive a me perseguir.
Bateu com força de novo, mas depois não insitiu.
Desceu os degraus em silêncio e para sempre partiu,
Partiu deixando na porta essas palavras fatais:

SOU A FELICIDADE NÃO VOLTAREI JAMAIS!!!


(Autor desconhecido)

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

♥ Sintaxe à vontade


Sem horas e sem dores
Respeitável público pagão
a partir de sempre
toda cura pertence a nós
toda resposta e dúvida
todo sujeito é livre para conjugar o verbo que quiser
todo verbo é livre para ser direto e indireto
nenhum predicado será prejudicado
nem tampouco a vírgula, nem a crase nem a frase e ponto final!
afinal, a má gramática da vida nos põe entre pausas, entre vírgulas
e estar entre vírgulas pode ser aposto
e eu aposto o oposto que vou cativar a todos
sendo apenas um sujeito simples
um sujeito e sua oração
sua pressa e sua verdade,sua fé
que a regência da paz sirva a todos nós... cegos ou não
que enxerguemos o fato
de termos acessórios para nossa oração
separados ou adjuntos, nominais ou não
façamos parte do contexto da crônica
e de todas as capas de edição especial
sejamos também o anúncio da contra-capa
mas ser a capa e ser contra-capa
é a beleza da contradição
é negar a si mesmo
e negar a si mesmo
pode ser também encontrar-se com Deus
com o teu Deus
Sem horas e sem dores
Que nesse encontro que acontece agora
cada um possa se encontrar no outro
até porque...

tem horas que a gente se pergunta...
por que é que não se junta
tudo numa coisa só?


(Fernando Anitelli)

sábado, 10 de outubro de 2009

♥ Tudo posso

Posso, tudo posso Naquele que me fortalece
Nada e ninguém no mundo vai me fazer desistir
Quero, tudo quero, sem medo entregar meus projetos
Deixar-me guiar nos caminhos que Deus desejou pra mim e ali estar
Vou perseguir tudo aquilo que Deus já escolheu pra mim

Vou persistir, e mesmo nas marcas daquela dor
Do que ficou, vou me lembrar
E realizar o sonho mais lindo que Deus sonhou
Em meu lugar estar na espera de um novo que vai chegar
Vou persistir, continuar a esperar e crer
E mesmo quando a visão se turva e o coração só chora
Mas na alma, há certeza da vitória
Posso, tudo posso Naquele que me fortalece
Nada e ninguém no mundo vai me fazer desistir
Vou perseguir tudo aquilo que Deus já escolheu pra mim
Vou persistir, e mesmo nas marcas daquela dor
Do que ficou, vou me lembrar
E realizar o sonho mais lindo que Deus sonhou
Em meu lugar estar na espera de um novo que vai chegar
Vou persistir, continuar a esperar e crer ...
Eu vou sofrendo, mas seguindo enquanto tantos não entendem
Vou cantando minha história, profetizando
Que eu posso, tudo posso... em Jesus!


(Celina Borges)

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

♥ Poeminha do prazer


O sumo prazer humano
Sente o ser que é seduzido
Não apenas pela leitura
Mas, sobretudo, pelo livro
Porque o livro é o corpo
E a leitura, o espírito...


(Bruno Bezerra)

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

♥ Árvore

O Dia da Árvore é comemorado em todo o mundo e em datas diferentes. Aqui no Brasil, foi escolhido o dia 21 de setembro, que marca o início da primavera e historicamente o culto dos índios às árvores, ao preparar o solo para cultivo. Neste dia existem muitas iniciativas em se plantar árvores.

As árvores crescem sós. E a sós florescem.
Começam por ser nada. Pouco a pouco
se levantam do chão, se alteiam palmo a palmo.
Crescendo deitam ramos, e os ramos outros ramos,
e deles nascem folhas, e as folhas multiplicam-se.
Depois, por entre as folhas, vão-se esboçando as flores,
e então crescem as flores, e as flores produzem frutos,
e os frutos dão sementes,
e as sementes preparam novas árvores.
E tudo sempre a sós, a sós consigo mesmas.
Sem verem, sem ouvirem, sem falarem.
Sós.
De dia e de noite.
Sempre sós.
Os animais são outra coisa.
Contactam-se, penetram-se, trespassam-se,
fazem amor e ódio, e vão à vida
como se nada fosse.
As árvores não.
Solitárias, as árvores,
exauram terra e sol silenciosamente.
Não pensam, não suspiram, não se queixam.
Estendem os braços como se implorassem;
com o vento soltam ais como se suspirassem;
e gemem, mas a queixa não é sua.
Sós, sempre sós.
Nas planícies, nos montes, nas florestas,
a crescer e a florir sem consciência.

(António Gedeão)

domingo, 20 de setembro de 2009

♥ Amém


Pelo retrovisor enxergamos tudo ao contrário
Letras, lados, lestes
O relógio de pulso pula de uma mão para outra e na verdade... ]
[ nada muda
A criança que me pediu dez centavos é um homem de idade ]
[ no meu retrovisor
A menina debruçando favores toda suja
É mãe de filhos que não conhece
Vendeu-os por açúcar
Prendas de quermesse
A placa do carro da frente se inverte quando passo por ele
E nesse tráfego acelero o que posso
Acho que não ultrapasso e quando o faço nem noto
O farol fecha...
Outras flores e carros surgem em meu retrovisor
Retrovisor é passado
É de vez em quando... do meu lado
Nunca é na frente
É o segundo mais tarde... próximo... seguinte
É o que passou e muitas vezes ninguém viu
Retrovisor nos mostra o que ficou; o que partiu
O que agora só ficou no pensamento
Retrovisor é mesmice em dia de trânsito lento
Retrovisor mostra meus olhos com lembranças mal resolvidas
Mostra as ruas que escolhi... calçadas e avenidas
Deixa explícito que se vou pra frente
Coisas ficam para trás
A gente só nunca sabe... que coisas são essas


(Fernando Anitelli)

sábado, 12 de setembro de 2009

♥ Gentificando

Gosto de ser gente, porque inacabado, sei que sou um ser condicionado mas, consciente do inacabamento, sei que posso ir mais além dele. Esta é a diferença entre o ser condicionado e o ser determinado.[...] Gosto de ser gente porque, como tal, percebo afinal que a construção de minha presença no mundo, que não se faz no isolamento, isenta da influência das forças sociais, que não se compreende fora da tensão entre o que herdo geneticamente e o que herdo social, cultural e historicamente, tem muito a ver comigo mesmo.

(Paulo Freire)

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

♥ 7 de setembro












Viva D. Pedro Primeiro,
Real príncipe altaneiro!

Entregou o Brasil ao brasileiro,
Num brado forte

Que vibrou de Sul a Norte:
"Independência ou Morte!"

(Magdalena Léa)

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

♥ Cidade queimada de sol




Visitando o Museu de Arte da UFC - MAUC, pude observar este quadro e saber sua história. Cidade queimada de sol (Homenagem a Fortaleza) pintura e poema do fortalezense Antônio Bandeira. Foto batida por mim.






Bom dia
Fortaleza
te ofereço
esse carinho de viajor
do filho
que não sabe
se vem ou se vai
o que olha e medita
indo e voltando
à sua cidade
envelhecendo e remoçando
com ela (ela és tu)

Fortaleza
te ofereço
esse carinho de gente
(porque é gente a que
nasce de teu ventre)
de corpo e alma também
ofereço
cadinho de ferro e bronze
(uma lembrança de meu pai)
cadinho de corpo e alma
esse cadinho de raças
Fortaleza


(Antônio Bandeira)

sábado, 29 de agosto de 2009

♥ Amado Michael



Hoje, Michael Jackson completaria 51 anos.
Who's Dead ?
O rei do pop vive.




Negro da luz que desbota branco
Tanto talento tormento tanto
Tanta afronta de pouca monta.
Eia! virtudes em farta ceia
Todo encanto que pode o canto
Toda fiança que adoça a dança.
Que Deus nos furta vida tão curta?
Mundo lamenta: ele mal cinquenta!
A ninguém ilude essa bruxa rude.
Paroxismo desse Narciso
Que achou desgosto no próprio rosto
E apedrejou-se com faca e foice.
Avança a rua (uma dor que dança)
E em seus telhados mandibulados
Requebra os hinos do dançarino.
Niños, rapazes, se sentem azes
Herdeiros todos e seus parceiros
Revelam parque, porto e favela.

(Tom Zé)

domingo, 23 de agosto de 2009

♥ O que é letramento?


Interessada em saber mais sobre letramento e alfabetização, li o livro: Letramento: um tema em três gêneros. Nele, encontrei este poema que explica bem o que é letramento. O poema foi escrito por uma estudante norte-americana, de origem asiática, Kate M. Chong, ao escrever sua história pessoal de letramento.






Letramento não é um gancho
em que se pendura cada som enunciado,
não é treinamento repetitivo
de uma habilidade,
nem um martelo
quebrando blocos de gramática.

Letramento é diversão
é leitura à luz de vela
ou lá fora, à luz do sol.

São notícias sobre o presidente
O tempo, os artistas da TV
e mesmo Mônica e Cebolinha
nos jornais de domingo.

É uma receita de biscoito,
uma lista de compras, recados colados na geladeira,
um bilhete de amor,
telegramas de parabéns e cartas
de velhos amigos.

É viajar para países desconhecidos,
sem deixar sua cama,
é rir e chorar
com personagens, heróis e grandes amigos.

É um atlas do mundo,
sinais de trânsito, caças ao tesouro,
manuais, instruções, guias,
e orientações em bulas de remédios,
para que você não fique perdido.

Letramento é, sobretudo,
um mapa do coração do homem,
um mapa de quem você é,
e de tudo que você pode ser.


(Kate M. Chong)

sábado, 15 de agosto de 2009

♥ Gentileza

José Datrino, o Profeta Gentileza, a partir de 1980, escolheu 56 pilastras do Viaduto do Caju, que vai do Cemitério do Caju até a Rodoviária Novo Rio, numa extensão de aproximadamente 1,5 Km. Ele encheu as pilastras do viaduto com inscrições em verde-amarelo, propondo sua crítica do mundo e sua alternativa ao mal-estar da civilização. Gentileza foi homenageado na música pelo compositor Gonzaguinha, nos anos 1980, e também pela cantora Marisa Monte, nos anos 1990. As duas canções levam o nome Gentileza.


Apagaram tudo
Pintaram tudo de cinza
A palavra no muro
Ficou coberta de tinta

Apagaram tudo
Pintaram tudo de cinza
Só ficou no muro
Tristeza e tinta fresca

Nós que passamos apressados
Pelas ruas da cidade
Merecemos ler as letras
E as palavras de Gentileza

Por isso eu pergunto
À você no mundo
Se é mais inteligente
O livro ou a sabedoria

O mundo é uma escola
A vida é o circo
Amor palavra que liberta
Já dizia o Profeta


(Marisa Monte)

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

♥ Corre sempre atrás dos sonhos


Desce vales, sobe montes,
Vai onde o sonho te levou,
Mata a sede, nas tuas fontes,
Nas que o destino não secou.

Mas com tua contumácia,
Mostra-te um ser denodado,
Perseguindo com eficácia,
Qual denodo desejado.

E quando pensares, já ter tudo,
E em ti não veres defeito,
Terás que depreender,

Que foste na vida um sortudo,
Por pensares ter tudo feito,
Tu tens tanto por fazer!


(Casimiro Costa)

domingo, 2 de agosto de 2009

♥ Beijo de amor


Quando teu rosto contemplei,
Tudo, tão lindo, achei,
Na ansiedade, numa probidade...
Em teus lábios quando toquei,
Coloquei os meus, colei... beijei...
Ah! Doce aroma, doce mel,
Senti-me enfim no céu,
Planando no ar,
A amar... a desejar...
Que afável realidade,
Que imensa liberdade...
Que aflição no coração,
Na ação de te beijar e abraçar.
Sentindo teus lábios úmidos,
Brincando, sorrindo,
De mansinho num movimento,
Numa carícia refrescante, alucinante...
Agonia neste beijo, um desejo...
Persistindo em não parar, amar...
Pressionados um ao outro,
Mexendo num afago infindo...
E sentindo a intensidade,
A tão grande suavidade...
Um sentimento neste momento,
Um imenso calor, neste ardor-sabor.
Ah! Que ditosa quentura,
Que lindo beijo de amor!


(Fernando Wallace)

quinta-feira, 30 de julho de 2009

♥ Sonhos


Há quem diga que todas as noites são de sonhos.
Mas há também quem garanta que nem todas, só as de verão.
No fundo, isto não tem muita importância.
O que interessa mesmo não é a noite em si, são os sonhos.
Sonhos que o homem sonha sempre,
em todos os lugares, em todas as épocas do ano, dormindo ou acordado.


(William Shakespeare)

quarta-feira, 15 de julho de 2009

♥ De ontem em diante


De ontem em diante serei o que sou no instante agora
Onde ontem, hoje e amanhã são a mesma coisa
Sem a idéia ilusória de que o dia, a noite e a madrugada
são coisas distintas
Separadas pelo canto de um galo velho
Eu apóstolo contigo que não sabes do evangelho
Do versículo e da profecia
Quem surgiu primeiro? o antes, o outrora, a noite ou o dia?
Minha vida inteira é meu dia inteiro
Meus dilúvios imaginários ainda faço no chuveiro!
Minha mochila de lanches?
É minha marmita requentada em banho Maria!
Minha mamadeira de leite em pó
É cerveja gelada na padaria
Meu banho no tanque?
É lavar carro com mangueira
E se antes um pedaço de maçã
Hoje quero a fruta inteira
E da fruta tiro a polpa... da puta tiro a roupa
Da luta não me retiro
Me atiro do alto e que me atirem no peito
Da luta não me retiro...
Todo dia de manhã é nostalgia das besteiras que fizemos ontem


(Fernando Anitelli)

quinta-feira, 9 de julho de 2009

♥ Casa de Deus


Uma porta que sai do coração, que mora dentro o amor, uma outra que está a amizade, uma outra as boas virtudes, um corredor de esperança que guarnece o dia que resguarda a noite...

Uma janela para o céu, para as estrelas para o infinito e neles um sorriso teu.

Um casa de anjos de querubins de coisa alguma que não seja o sentimento do mais puro, do mais sentido....

Um lugar de grandes alegrias, de sonhos e fantasias, uma casa que resida a paz, a vida e a harmonia.

Um lugar de riquezas de belezas, de certezas, de reis e rainhas de príncipes e princesas aonde ninguém é mais que ninguém todos são luzes multicores e nelas um gesto de amor envolto em todo os seus residentes.

Uma casa do tamanho meu, do tamanho seu, aonde a mais linda é a verdadeira forma de ser, de compreender que o amor é a vida e nela todas as casas todas as portas e janelas que nos levam a amizade.


(Adenilson Rodrigues da Silva)

quarta-feira, 1 de julho de 2009

♥ Sentir-se amado


O cara diz que te ama, então tá. Ele te ama.

Sua mulher diz que te ama, então assunto encerrado.

Você sabe que é amado porque lhe disseram isso,
as três palavrinhas mágicas. Mas saber-se amado é uma coisa, sentir-se amado é outra, uma diferença de milhas, um espaço enorme para a angústia instalar-se.

A demonstração de amor requer mais do que beijos, sexo e verbalização, apesar de não sonharmos com outra coisa: se o cara beija, transa e diz que me ama, tenha a santa paciência, vou querer que ele faça pacto de sangue também?

Pactos. Acho que é isso. Não de sangue nem de nada que se possa ver e tocar. É um pacto silencioso que tem a força de manter as coisas enraizadas, um pacto de eternidade, mesmo que o destino um dia venha a dividir o caminho dos dois.

Sentir-se amado é sentir que a pessoa tem interesse real na sua vida, que zela pela sua felicidade, que se preocupa quando as coisas não estão dando certo, que sugere caminhos para melhorar, que coloca-se a postos para ouvir suas dúvidas e que dá uma sacudida em você, caso você esteja delirando. "Não seja tão severa consigo mesma, relaxe um pouco. Vou te trazer um cálice de vinho".

Sentir-se amado é ver que ela lembra de coisas que você contou dois anos atrás, é vê-la tentar reconciliar você com seu pai, é ver como ela fica triste quando você está triste e como sorri com delicadeza quando diz que você está fazendo uma tempestade em copo d´água. "Lembra que quando eu passei por isso você disse que eu estava dramatizando? Então, chegou sua vez de simplificar as coisas. Vem aqui, tira este sapato."

Sentem-se amados aqueles que perdoam um ao outro e que não transformam a mágoa em munição na hora da discussão. Sente-se amado aquele que se sente aceito, que se sente bem-vindo, que se sente inteiro. Sente-se amado aquele que tem sua solidão respeitada, aquele que sabe que não existe assunto proibido, que tudo pode ser dito e compreendido. Sente-se amado quem se sente seguro para ser exatamente como é, sem inventar um personagem para a relação, pois personagem nenhum se sustenta muito tempo. Sente-se amado quem não ofega, mas suspira; quem não levanta a voz, mas fala; quem não concorda, mas escuta.

Agora sente-se e escute: eu te amo não diz tudo.


(Martha Medeiros)

quinta-feira, 25 de junho de 2009

♥ Viajar pela leitura


Viajar pela leitura
sem rumo, sem intenção.
Só para viver a aventura
que é ter um livro nas mãos.
É uma pena que só saiba disso
quem gosta de ler.
Experimente!
Assim, sem compromisso
você vai me entender.
Mergulhe de cabeça
na imaginação!


(Clarice Pacheco)

sábado, 13 de junho de 2009

♥ Não desista do amor


Eu sei que é difícil esperar
Mas Deus tem um tempo pra agir e pra curar
Só é preciso confiar

Se a cruz lhe pesa
Não é pra se entregar
mas pra se aprender amar
Como alguém que não desiste

A dor faz parte do cultivo desta fé
E só quem sabe o que se quer
Quem luta para conseguir ser feliz

Não desista do amor, não desista de amar
Não se entregue a dor porque ela um dia vai passar
Se a cruz lhe pesou e quer se entregar
Tal como Cirineu, Cristo vai lhe ajudar

(Pe. Fábio De Melo)

quinta-feira, 11 de junho de 2009

♥ Onde está o meu amor?

Onde está o meu amor?
Quem será?
Com quem se parece?
Deve estar por ai
Ou será que nem me conhece?...

Onde andará o meu amor?
Seja onde for
Irá chegar!...

Onde está o meu amor?
Que será que ele faz da vida?
Deve saber amar e outras coisas
Que Deus duvida...

Corre, se esconde
Finge que não
Jura que sim
Morre de amores
Aonde?
Longe de mim!...

Onde está o meu amor?
Leve e envolto
Em tanto mistério
Deve saber voar
Deve ser tudo que eu espero...

Onde andará o meu amor?
Seja onde for
Eu sei que vai chegar
Vai chegar!...

Corre, se esconde
Finge que não
Jura que sim
Morre de amores
Aonde?
Longe de mim
Onde está o meu amor?
Deve estar em algum lugar!...


(Música do RPM)

sexta-feira, 5 de junho de 2009

♥ Na bandeira do Brasil

O dia 5 de junho é lembrado em todos os países como o dia mundial do meio ambiente, desde que a Organização das Nações Unidas - ONU, em 1972, realizou a sua primeira conferência sobre o tema: a Conferência sobre o Ambiente Humano, conhecida como Conferência de Estocolmo. O dia ou a semana em torno de 5 de junho é usada por muitas pessoas e organizações para celebrar o milagre da Vida, a beleza da Natureza, e ao mesmo tempo alertar sobre os riscos à própria sobrevivência do ser humano se o ambiente continuar a ser degradado, poluído, desrespeitado, visto como obstáculo aos nossos desejos.
Na Bandeira do Brasil
Cada cor um elemento
Do branco e do amarelo do ouro
Ao verde e ao azul do céu e do mar
Azul do céu e do mar
O céu ta ficando cinza com a fumaça
O mar ta ficando cinza com o esgoto
E o Azul ta ficando cinza com o homem
O Amarelo do ouro. Que Ouro?
Montanhas já foram destruídas
E o ouro está sumindo
Já Sumiu.
O Verde das matas
Mata que está sendo queimada
E o verde se transformando em cinza
E a mata de transformando em cinzas.
O Branco da Paz
Paz que não existe mais
Nem pra gente
Nem para o Meio Ambiente.
Sem o azul do céu e do mar
Sem o amarelo do ouro
Sem o verde da mata
Sem o branco da Paz.


(Juliano S. de Souza)

quarta-feira, 27 de maio de 2009

♥ Ser avó




FELIZ ANIVERSÁRIO VÓ !!!


NÃO É TODO MUNDO QUE FAZ 89 ANOS.







Ser avó é sentir felicidade
É conhecer um amor doce, profundo,
É viver de carinho e ansiedade,
É resumir nos netos o seu mundo!

Ser avó é voltar a ser criança,
É fazer tudo pelo neto amado...
É povoar a vida de esperança,
É reviver todinho o seu passado.

Ser mãe é dar o coração, eu creio,
Mas ser avó... que sonho abençoado!!!
É viver de ilusão, num doce enleio,
É viver no neto o amor ao filho amado!

(Autor Desconhecido)

quinta-feira, 30 de abril de 2009

♥ O toque


O toque bonito das mãos
É esse que toca, encanta, afunda os dedos,
Que entra, adentra,
Na pele, no corpo, na mente e não mente,
É certo quem sente.
O toque, o toque da gente
Adentra o fruto até a semente.
Quem toca o outro
Com o toque que toco
Adoça a alma, e faz-se contente,
Eriça os pêlos e faz com a gente
Bonito direito, bonito no avesso.
São poucos que tocam o toque que toco
Que quando eu topo, meu corpo pressente.


(Léo Tomaz)

terça-feira, 21 de abril de 2009

♥ Poesia Tiradentes


Olha, se "a força mata os homens, mas não mata as idéias". / TIRADENTES... / Morrestes na fôrca para demonstrar que as idéias dos infernais inconfidentes... / Simplesmente não morreram... / TIRADENTES... / Do teu sacríficio desgraçado, / Ademais, se te levaram ao patíbulo, no Campo de São Domingos, no Rio de Janeiro, / O teu sacríficio não fora em vão... / Pois és o - Patro Cívico desta bela Nação! / Há que ser dito - TIRADENTES... A TUA NAÇÃO! / Pisastes um a um, até finalmente chegares ao vigésimo quarto degrau... / OH! TIRADENTES! / Os teus perseguidores, te invejavam...! / Coberto pelo sol do meio-dia, / Tua cabeça sempre levantada, / Olhavas para o firmamento... / Mostrastes aos teus perseguidores... / Que eras uma figura emblemática... / Estavas tocado pelo - Espírito Santo... / O teu rosto refletia a mansidão cristã... / E morrestes sem um grito de revolta... / VIVA O GRANDE PATRONO CÍVICO DO BRASIL -(TIRADENTES)!

(Osni Silva Júnior)

quinta-feira, 16 de abril de 2009

♥ Sabedoria canina


Nunca deixe passar a oportunidade de sair para um passeio.
Experimente a sensação de ar fresco e do vento na sua face por puro prazer.
Quando alguém que você ama se aproxima, corra para saudá-lo(a).
Quando houver necessidade, pratique a obediência.
Deixe os outros saberem quando invadiram o seu território.
Sempre que puder tire uma soneca e se espreguice antes de se levantar.
Corra, pule e brinque diariamente.
Coma com gosto e entusiasmo, mas pare quando estiver satisfeito.
Seja sempre leal.
Nunca pretenda ser algo que você não é.
Se o que você deseja está enterrado, cave até encontrar.
Quando chamar a atenção, deixe alguém tocá-lo.
Evite morder quando apenas um rosnado resolve.
Nos dias mornos, deite-se de costas sobre a grama.
Nos dias quentes, beba muita água e descanse todo o seu corpo.
Alegre-se com o simples prazer de uma caminhada.
Não importa quantas vezes for censurado, não assuma a culpa que não tiver e não fique amuado..., corra imediatamente de volta para seus amigos.
Quando alguém estiver passando um mau dia, fique em silêncio, sente-se próximo e, gentilmente, tente agradá-lo.


(Autor Desconhecido)

sábado, 4 de abril de 2009

♥ Mulher


Sou uma mulher madura
Que às vezes anda de balanço
Sou uma criança insegura
Que às vezes usa salto alto
Sou uma mulher que balança
Sou uma criança que atura

(Martha Medeiros)

terça-feira, 31 de março de 2009

♥ O anjo mais velho

O dia mente a cor da noite
E o diamante a cor dos olhos
Os olhos mentem dia e noite a dor da gente"

Enquanto houver você do outro lado
Aqui do outro eu consigo me orientar
A cena repete a cena se inverte
Enchendo a minha alma d'aquilo que outrora eu deixei de acreditar

Tua palavra, tua história
Tua verdade fazendo escola
E tua ausência fazendo silêncio em todo lugar

Metade de mim
Agora é assim
De um lado a poesia o verbo a saudade
Do outro a luta, a força e a coragem pra chegar no fim
E o fim é belo incerto... depende de como você vê
O novo, o credo, a fé que você deposita em você e só

Só enquanto eu respirar
Vou me lembrar de você

(Fernando Anitelli)

domingo, 22 de março de 2009

♥ Água

Dia 22 de março é a data escolhida pela Organização das Nações Unidas para celebrar o Dia Mundial da Água.

Ouvi dizer que a água é insípida, inodora e incolor.
Como assim é insípida,

Se minha sede discorda
E só tem prazer em seu sabor?

Como seria inodora,
Se amo e conheço o cheiro da chuva
Que cai depois de longa estiagem?

E como será incolor,
Se em cada mínima gotícula,
Há um arco-íris sonhando em sair?

(Roberto Amorim)

sexta-feira, 20 de março de 2009

♥ Assaltos


Do medo, eu teço mais coragem.
Um salto maior eu dou se me acorrentam.
Da dor da poda eu renasço inteira
Saio a melhor rosa da roseira.

Do cinza frio do asfalto
Do vermelho sangue nos olhos do bandido
Eu ergo minha bandeira ao alto: lilás e rosa.
Outra fada teria fugido...

Eu encanto, crio, expando.
Mesmo que minhas asas tremam
Mesmo que estejam amarradas
Eu vôo.
Mesmo que o medo açoite-me à noite
E a dúvida surja em seu caminho.

Do piloto automático eu fujo
Da venda nos olhos - que já são cegos...
Não quero a vibração das pedras
Quero a velocidade da luz.

(Carolina Salcides)

domingo, 1 de março de 2009

♥ O poeta da roça

Sou fio das mata, cantô da mão grossa,
Trabalho na roça, de inverno e de estio.
A minha choupana é tapada de barro,
Só fumo cigarro de páia de mio.

Sou poeta das brenha, não faço o papé
De argum menestré, ou errante cantô
Que veve vagando, com sua viola,
Cantando, pachola, à percura de amô.

Na tenho sabença, pois nunca estudei,
Apenas eu sei o nome assina.
Meu pai, coitadinho! Vivia sem cobre,
E o fio do pobre não pode estuda.

Meu verso rastêro, singelo e sem graça,
Não entra na praça, no rico salão,
Meu só entra no campo e na roça,
Nas pobre paioça, da serra ao sertão.

Só canto o buliço da vida apertada,
Da lida apertada, da roça e dos eito
E às veis, rescordando a feliz mocidade,
Canto uma sôdade que mora em meu peito.

Eu canto o cabôco com suas caçada,
Nas noite assombrada que tudo apavora,
Por dentro da mata, com tanta corage
Topando a visage chamada caipora.

Eu canto o vaquêro vestido de coro,
Brigando com o tôro no mato fechado,
Que pega na ponta do brabo novio,
Ganhando lugio do dono do gado.

Eu canto o mendigo de sujo farrapo,
Coberto de trapo e mochila na mão,
Que chora pedindo o socorro dos home,
E tomba de fome, sem terra e sem pão,

E assim, sem cobiça dos cofre luzente,
Eu vivo contente e feliz com a sorte,
Morando no campo, sem vê a cidade
Cantando a verdade das coisas do Norte.


(Patativa do Assaré)

sábado, 28 de fevereiro de 2009

♥ Macbeth


A vida é uma sombra errante;
Um pobre comediante, que se pavoneia
No breve instante que lhe reserva a cena,
Para depois não ser mais ouvido.
É um conto de fadas, que nada significa,
Narrado por um idiota, cheio de voz e fúria.

(William Shakespeare)

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

♥ Sonhos


Há quem diga que todas as noites são de sonhos.
Mas há também quem garanta que nem todas, só as de verão.
No fundo, isto não tem muita importância.
O que interessa mesmo não é a noite em si, são os sonhos.
Sonhos que o homem sonha sempre, em todos os lugares,
em todas as épocas do ano, dormindo ou acordado.

(William Shakespeare)

domingo, 22 de fevereiro de 2009

♥ Um bom amanhã


Aquela que te deu a luz te criou.
E comigo teu coração lacrou.
Minha marca trazes em teu braço.
Pois o amor é forte como a morte.
Meu rosto em teu olhar e, o teu, o meu reflete.
E do manto do rosto o coração se veste.
Um par de hemisférios que melhor se complete.
Onde há, sem norte ou declinante oeste?
Em desigualdade tudo o que morre está.
Se nosso amor é um só e formamos um par.
De amor tão igual e forte ninguém morrerá.

Espanta-me, em verdade, o que fizemos, tu e eu
Até nos amarmos? Não estaríamos ainda criados,
e, infantilmente, sorvíamos rústicos prazeres?
Ou ressonávamos na cova dos Sete Santos Adormecidos?
Assim era. Salvo este, todos os prazeres são fantasia.
Se alguma vez qualquer beleza eu de fato vi,
desejei e obtive, não foi senão um sonho de ti.

E agora, bom dia às nossas almas que acordam,
E que, por medo, uma à outra se não contemplam;
Porque Amor todo o amor de outras visões influencia
E transforma um pequeno quarto numa imensidão.
Deixa que os descobridores partam para novos mundos,
E que aos outros os mapa-mundi sobre mundos mostrem.
Tenhamos nós um só, porque cada um possui, e é um mundo.

A minha face nos teus olhos, e a tua nos meus, aparecem,
Que os corações veros e simples nas faces se desenham;
Onde poderemos encontrar dois melhores hemisférios,
Sem o agudo Norte, nem o declinado Oeste?
Só morre o que não foi proporcionalmente misturado,
E se nossos dois amores são um, ou tu e eu nos amamos
Tão igualmente que nenhum abranda, nenhum pode morrer.

(The Good-Morrow - John Donne)

sábado, 21 de fevereiro de 2009

♥ O caminha da vida


Trecho do último discurso do filme O Grande Ditador

O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém nos extraviamos. A cobiça envenou a alma dos homens... levantou no mundo as muralhas do ódios... e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e morticínios. Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria. Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos em demasia e sentimos bem pouco. Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido.

(Charles Chaplin)

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

♥ Meio ambiente


O meio ambiente agoniza!
A natureza pede socorro!
As matas pedem conservação
Os bichos pedem preservação
O ar não quer poluição
A água não quer contaminação
E o homem quer solução
Ele não sabe que é a solução!
Para melhorar a situação
Para a próxima geração!
Com muitas árvores para refrescar
Variedade de animais para admirar
Ar puro para respirar
Água cristalina para tomar.
Tudo isso depende de mim
Tudo isso depende de você
Tudo isso depende de nós...
Vamos nos conscientizar
De que nossos hábitos devemos mudar
Novas atitudes devemos tomar.
Aprender a conservar
Aprender a respeitar
Aprender a reciclar
Para o meio ambiente preservar
E a vida melhorar...

(Mena Moreira)

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

♥ Deus

Deus costuma usar a solidão
para nos ensinar sobre a convivência.
Às vezes, usa a raiva para que possamos
compreender o infinito valor da paz.
Outras vezes usa o tédio,
quando quer nos mostrar a importância da aventura e do abandono.
Deus costuma usar o silêncio para nos ensinar
sobre a responsabilidade do que dizemos.
Às vezes usa o cansaço, para que possamos
compreender o valor do despertar.
Outras vezes usa a doença, quando quer
nos mostrar a importância da saúde.
Deus costuma usar o fogo,
para nos ensinar a andar sobre a água.
Às vezes, usa a terra, para que possamos
compreender o valor do ar.
Outras vezes usa a morte, quando quer
nos mostrar a importância da vida.

(Fernando Pessoa)

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

♥ De Ike Graham para Maggie Carpenter

Eu te garanto que um dia um de nós,
ou os dois vai querer pular fora,
Mas eu te garanto que se eu não te pedir pra ser minha,
eu vou me arrepender pelo resto da minha vida
Pois em meu coração você é única pra mim
A única que poderá mudar
Com a força do amor
Todas as diferenças que existem
Neste meu coração de pedra
Mas uma coisa de juro
Nada passará em vão
Pois mesmo com o seu coração nas mão
Serás meu anjo, e pra sempre
Te guardarei em meu coração

(Filme Noiva em fuga)

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

♥ O gol

A esfera desce do espaço
veloz ele a apara
no peito e a pára no ar
depois com o joelho
a dispõe a meia altura
onde iluminada a esfera

espera o chute que
num relâmpago a dispara
na direção do nosso coração.


(Ferreira Gullar)

sábado, 31 de janeiro de 2009

♥ Chá sem açucar, vida sem sabor


Acontecem algumas vezes que não achamos bom o chá.
Descobre-se a causa quando se chega ao fundo da xícara: o açúcar.
Não estava faltando, mas estava no fundo.
Teria sido necessário mexer.
Talvez o que esteja faltando à nossa vida, tenha ficado no fundo.
Nossa vida talvez não tenha sabor
porque não temos a coragem de ir ao fundo das coisas ou porque não queremos.
Fazemos caretas como ao tomar o chá sem açúcar.
Precisamos fazer o esforço de mexer a vida,
e tocar nos segredos da nossa existência dentro de nós.

(Do livro: Nunca deixe de Sonhar)

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

♥ Romeu & Julieta


ROMEU — (a Julieta) – Se minha mão profana o relicário em remissão aceito a penitência: meu lábio, peregrino solitário, demonstrará, com sobra, reverência.

JULIETA — Ofendeis vossa mão, bom peregrino, que se mostrou devota e reverente. Nas mãos dos santos pega o paladino. Esse é o beijo mais santo e conveniente.

ROMEU — Os santos e os devotos não têm boca?

JULIETA — Sim, peregrino, só para orações.

ROMEU — Deixai, então, ó santa! que esta boca mostre o caminho certo aos corações.

JULIETA — Sem se mexer, o santo exalça o voto.

ROMEU — Então fica quietinha: eis o devoto. Em tua boca me limpo dos pecados. (Beija-a.)

JULIETA — Que passaram, assim, para meus lábios.

ROMEU — Pecados meus? Oh! Quero-os retornados. Devolve-mos.

JULIETA — Beijais tal qual os sábios.


(William Shakespeare)

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

♥ Duvida

Duvida da luz dos astros,
De que o sol tenha calor,
Duvida até da verdade,
Mas confia em meu amor.

(William Shakespeare)

domingo, 25 de janeiro de 2009

♥ Desaprender

Desaprender para aprender.
Deletar para escrever em cima.
Houve um tempo em que eu pensava que,
para isso, seria preciso nascer de novo,
mas hoje sei que dá pra renascer várias vezes nesta mesma vida.
Basta desaprender o receio de mudar.

(Martha Medeiros)


sábado, 24 de janeiro de 2009

♥ Se queres ser feliz


Se queres ser feliz, basta-te crer somentee
a ventura virá bater à tua porta!
Quem crê supera o Mal! E o resto pouco importa,
pois só vive feliz o que feliz se sente!

O que passou, passou. Cuidemos do presente,
já que é ele tão só que agora nos conforta.
Há, por falta de fé, tanta gente morta,
tanta gente infeliz, amigo, tanta gente!...

O futuro será conforme nossa crença:
bem melhor ou pior, segundo o preparemos
pela força da fé ou pela indiferença.

E o amor também virá, - no momento propício,
na exata proporção do quanto o merecemos,
como prêmio do bem ou cruz de sacrifício.

(Athos Fernandes)